♥Um pão e coração doces... ♥




Lá fora, friozinho..

O dia, não estava bom para massas, pensava ela, mas mesmo assim, não ficou parada.  Foi para a cozinha exercitar a receita que apenas vira.  Ficara babando...

Assim, Beta passou algum tempinho por lá  a preparar. 

Enquanto o fazia, sua mente já voava. 
Pensava na alegria que teria ao servir.  
Via os rostinhos  alegres, as carinhas cheias de gula  de seus aluninhos, crianças carentes da vila ali próxima onde lecionava...

Fez três receitas e rendeu vários pães. 

Embalada pela  alegria do depois, assim que os tirou do forno, deixou esfriar, limpou tudo por lá...

Dirigiu-se então, com a bandeja na mão e os livros na outra, para o seu trabalho.
Imaginava um dia especial.

No caminho, um velhinho de olhar lindo, roupas sujas, tristonho, barba grande, cabelos despenteados...Aproximou-se dela pedindo uns trocos pois fome sentia. 

Como ela poderia negar  se ali havia tantos pães?

Parou e deu um pedaço para ele, que agradeceu e sorriu.

Segue adiante e como desajeitada e destrambelhada era, escorrega numa poça d´agua...Cai, mas tem o cuidado de proteger a "carga preciosa"...

Olha pra o lado e quem vem ao seu socorro?  Aquele velhinho...

A ajudou a levantar-se, cuidou bem da carga e aproveitou para fazer um elogio ao pão e à ela.:

_Quem faz um pão saboroso e lindo  assim só pode ser bela por dentro também!!

Ela corada, sorriu e agradeceu.

Ele fez questão de acompanhá-la até a escola e lá a despedida. 

Os alunos, na hora do lanche, felizes , famintos, adoraram o presente e carinho da professora!

Dias se passaram e à saída da escola,  quem estava lhe esperar?
Um senhor, que de relance não reconheceu. era bonito, bem alinhado... mas o olhar?  Esse  parecia ter visto já!

Assim, quando ele se aproximou e estendeu a mão, olhou bem nos olhos e reconheceu:

_ Mas como?

Ele logo tratou de explicar.  Era jornalista.Estava naquele dia, "fantasiado " de pedinte idoso para ver como se portam as pessoas.Se são ou não indiferentes ou caridosas. Era uma pesquisa para o jornal local.

Assim, depois de risos, ele a acompanhou até a casa.  Papo vai e vem, marcaram encontros e após um tempinho, com a presença de todos os seus aluninhos, na igrejinha da vila, Beta e Maurício se casaram...

Optaram por nada de  cerimônias de luxo fazer...

A festa foi para a criançada que ganhou um belo dia de reis e rainhas ,num farto almoço e ainda levaram ranchos para suas casas....

Até hoje, a cada vez que  prepara aquele pão, olha para o Alto e agradece...
Por estar tão carregada naquele dia, escorregara...

E assim conheceu o seu grande amor! E sua mãe ainda lhe diz, naquele velho ditado: "Pegaste o teu amor pela boca..."
Mas não foi só pela boca...

Foi pela bondade e beleza do seu coração! 

(((o)))o(((o)))o(((o)))

* Foto da Maria Luiza, saindo do forno essa delícia!  Acabou de me mandar por email essa foto e me inspirei. Vim escrever e saiu isso!rs...

Pena que moramos longe, senão não sobraria pra mostrar...

Obrigadão Maria Luiza!