segunda-feira, 18 de novembro de 2019

♥ 16 ª BC Na casa da vizinha ♥

Hoje  o tema da 16' ª BC Na casa da vizinha é esse:

Vejam lá na e na Cris e participem!

O tema dessa edição é:

Neste dia será comemorado no Calendário o “Dia da Consciência Negra, aproveitamos então para abordar o tema Diversidade de etnia e cultura. 

“Como ensinar os filhos a valorizarem a diversidade”



Esse data foi reconhecida recentemente.

O Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, foi instituído oficialmente pela lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011. A data faz referência à morte de Zumbi, o então líder do Quilombo dos Palmares – situado entre os estados de Alagoas e Pernambuco, na região Nordeste do Brasil.

Confesso que nos meus tempos de menina ( e lá já se vão séculos,😊) falar em ZUMBI, era fatalmente lembrar do parceiro de trapalhadas do Carequinha.

Zumbi era um dos participantes do grupo e sempre aparecia pra assustar e fazer confusões no circo.

Toda criançada adorava!


Carequinha e seus companheiros de bagunça: Zumbi, Fred...
Nem preciso dizer qual era o Zumbi,que aparecia pra assustar,rs..

foto DAQUI

Mas o que isso tem a ver com a nossa BC e seu título, Chica???

Te explica!!!

Trouxe  isso para dizer que apesar dessa falta de conhecimento sobre o Zumbi e em não se falar em consciência negra, as coisas eram diferentes, pelo menos pra mim e nossa família.

Estudei entre o Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul e, por si só, esse já é um fato de grande diversidade cultural.

Sotaques, alimentação, tantas coisas no Rio cultuadas e adoradas, desconhecidas no Sul e vice versa.

Lembro dos pães, por exemplo: aqui no Sul, chamamos de "bundinhas " o pão bilha, lembro também dos  famosos "carequinhasssssssssssssss, (com sotaque bem carioca e pra nós eram os "cacetinhos"... E por aí vão ...

Os nossos docinhos prediletos de niver eram os famosos "negrinhos" , hoje os brigadeiros...

Diferenças culturais e tão boas de com elas aprender e conviver...

Hoje, nesse mundo tão cheio de mimimis, nem mais podemos falar  certas e tantas coisas...Policiamento em tudo e será que esse chega de dentro ou é apenas da boca pra fora? Pra ser politicamente corretos??? Fica a pergunta!

 Lembro que haviam colegas que adoravam me ouvir falar e diziam que o sotaque era lindo e diferente, claro!!  Pediam preferencialmente que eu falasse manteiga ( nunca entendi a diferença, rs).

E, nas salas de aula,  cresci brincando com colegas que na hora do recreio não podiam brincar e pular.  Ficavam nas suas cadeiras de roda e, nem por isso, os deixávamos  de fora das brincadeiras.

Lembro até hoje de um deles, o Gustavo que tomara esteja muito bem, era nosso parceiro de farras mesmo ele na cadeira...

Haviam o negros também e crescemos  com eles como amigos.  Isso veio desde a infância, vizinhos do lado do nosso apartamento eram negros e  estávamos sempre juntos em passeios, praia, pracinhas.


Eles, agora lembro, introduziram em minha infância o São Cosme e Damião e ficava feliz ao receber o pacotinho de doces.

Até pouco tempo ,enquanto minha mãe tinha consciência da vida, ela mantinha contato com as filhas daquela vizinha.  Tudo pra nós era  e foi perfeitamente normal.

E assim, naturalmente, como deve ser, as nossas crianças nasceram e cresceram com isso arraigado .

Novamente aqui no Sul, tivemos  vizinhos de casa  negros e estávamos sempre fazendo programas juntos, crianças que  iam e voltavam da escola, brincavam.  Era assim! Não víamos diferenças entre nós e claro, essas eram apenas na cor da pele !

Claro que já vi e ouvi muitas bobagens...Uma pena!

Mas aqui em casa foi assim que as coisas aconteceram.  Se pais tem consciência de que todos somos irmãos, independente da raça ou cultura, automaticamente, essa  noção é passada aos filhos.

Portanto, não tivemos problemas nesse quesito e tomara todos assim pudessem ter vivenciado.



Agora vamos e ver o que outras mamães acham?



* Aproveito para comunicar que esse blog voltará apenas após 15 de dezembro.

Até lá curtiremos  primeiro a expectativa, depois a presença do nosso filho Gordo, que chega de longe e há quase 3 anos não estamos juntos  .

 INTÉ!

bjs, chica

14 comentários:

  1. Por estar muito envolvida essa semana, tive que antecipar! A data certa dessa BC é no dia 20, bjs chica

    ResponderExcluir
  2. Chica minha querida.. Primeiramente obrigada pela dedicação com nossa BC e por ter antecipado. Você é um amor!

    Pois é Chica, as vezes também tenho essa impressão que hoje a vida é cheia de mimimi, mas ao mesmo tempo penso se realmente não havia mimimis e algumas pessoas abusavam disso e se os afetados realmente não importavam. Difícil saber naõ é mesmo?

    Li seu texto e fui pensando praticamente desde o começo o que você falou no final: tudo depende de como os pais encaram tudo isso e o que eles passam aos filhos. É certeiro: pais preconceituosos, filhos também. Pais que valorizam a diversidade, filhos também!

    Que bacana saber que você e seus filhos cresceram vivendo a diversidade! Tão saudável não é mesmo?

    Amiga Chica, muito obrigada pelo carinho com nossa BC. Que vocês tenham um doce e feliz encontro com seu filho!

    Até a nossa volta da BC que será em fevereiro!

    Beijos doces no coração! Feliz fim de ano a todos! Deus abençoe!

    Tê e Maria ♥

    ResponderExcluir
  3. Como sempre é surpreendente a sua participação por isso o meu aplauso! Bj e aproveite bem estas mini férias do mundo virtual

    ResponderExcluir
  4. Excelente sua participação em mais esta postagem no projeto das meninas Cris e Tê, que venho acompanhando desde o primeiro e vejo o quanto você e a Ana tem contribuído com suas sabedorias e vivências bem à frente das demais. Bem esta coisa da diferença era mesmo imperceptível em algumas regiões Chica e em outras ela se acirrava. Dizia Mandela que nenhuma criança nasce com preconceito, era no seio da família que este nascia e se aprendia. Acho também que tem muito "mimimis" em volta da causa, o que tem criado certa intolerância. Há um patrulhamento severo no expressar sob pena de ser massacrado e processado, É preciso mesmo, ensinar em casa sobre esta diversidade não só de cor. Ainda creio na família como esteio de todo o processo educativo. De minha parte passei por algum incomodo na época dos namoricos juvenis, mas nunca me abalaram e ou criaram os tais traumas e etc.
    A cultura real tem muito a contribuir Chica.
    Boa participação Chica.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Bom dia Chica!
    E vamos chegando juntas ao final de mais um ano desse projeto tão lindo que as meninas Tê e Cris organizam e nos proporcionam tanta troca e aprendizados!

    Como você bem colocou, o Toninho ressaltou no comentário dele, a família é mesmo um esteio, é um berço de onde deveria vir as melhores atitudes, virtudes. Nossos pequenos se espelham em nós e reproduzem o que vivenciam.
    E essas experiências de mudanças geográficas como nos acrescentam! palavras, costumes, vamos aprendendo a respeitar todo esse diferente e ao mesmo tempo vamos nos inserindo neles.
    Gostei muito de ler tua participação!
    Curta muito a tua família juntinha ( nem acredito que são três anos sem o Gordo estar com vocês... faça muitas bolachinhas de Natal que ele merece!!! )
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Chica, que delícia te ler!
    E abordamos juntas sobre a diversidade. Eu TB creio que o papel dos pais e fundamental.
    Essa geração de mimimi Cansa.
    Creio que falar dos assuntos e temas como esses fortalecem e tras outros a refletirem conosco.
    Obrigada por somar conosco e por todo o seu empenho.
    Inté fevereiro!
    Bjs, cris

    ResponderExcluir
  7. Sim Chica, concordo perfeitamente, existe muito mimimi... "Uma pena"...
    Penso que toda boa conduta física e moral, educação e respeito independe de cor, raça, etc.
    Com certeza sua postagem trouxe boas lembranças e recordações...
    Beijos doces.
    Ju

    ResponderExcluir
  8. O "politicamente correto" tem atrapalhado a vida de muitos. Muita aparência e pouca essência, infelizmente. Mas... embora alguns não cumpram bem suas funções, nós outros vamos mantendo o foco no desenvolvimento de hábitos corretos e habilidades de vida.

    Muito obrigada pela companhia. E até breve!

    Beijo!

    Renata e Laura

    ResponderExcluir
  9. O mundo aos poucos precisa se adequar aos novos tempos e, dessa forma, certos antigos padrões não podem ser repetidos. Que venham as evoluções, que nossas mentes se abram cada vez mais, pois só assim podem expandir. Há muitos que dizem que somos todos iguais, e em partes, somente em partes, isso é verdade, mas o fato é que não somos todos iguais, somos todos diferentes e porque não respeitam as diferenças é que ainda existe tanta intolerância aqui no nosso país e ao redor do mundo. Costumo dizer que não sou racista: sou antirracista e não tenho nada contra os brancos! :)

    ResponderExcluir
  10. Querida Chica

    Adorei ter vindo aqui e encontrar este tema. Somos iguais mas todos diferentes e, como bem diz o Ulisses, o importante é respeitar as diferenças, os costumes de cada um, as origens. Se fizermos isso, de certeza que haverá mais amor e fraternidade entre as pessoas. Preto, branco? Uma questão apenas de epiderme, como dizia uma amiga minha. O resto tem a ver com respeito e consideração uns pelos outros.

    Adorei o seu texto, a passagem pela sua infância e as suas experiências em termos humanos.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderExcluir
  11. Legal, chica, o palhaço é realmente assustador!!
    Não podemos deixar de lembrar estas datas para que as diferenças sejam cada vez menores e possamos todos ser apenas humanos, com direitos e deveres iguais, enquanto não se consegue isso, vamos lembrando e lutando para que o passado ruim não nos assombre mais.

    ResponderExcluir
  12. Gracias por esta nueva aportación Saludos

    ResponderExcluir
  13. Oi Chica. Belo poster. Aproveite bem os dias que antecedem a chegada do filhão. Que Deus abençoe sua vida em todo tempo. Bjs querida

    ResponderExcluir

Que bom te ver aqui !