♥ Um ovo e o milagre... ♥

daqui

-Quantos ovos,vovó?

_Quatro, Lia, responde Dona Joana...

_ E farinha?

-Três xícaras...

_E agora? O que mais?  Assim ia a conversa animada naquela cozinha entre a vovó e netinha.

Lia estava preparando uma surpresa para sua mãe que aniversariava naquele dia.

Assim, com a ajuda da vovó, bateram um bolo lindo e um papo animado.

Lia pediu à vovó que arrumasse a mais linda toalha  para ela colocar na mesa e nela arrumaria os lugares para esperar , com a surpresa preparadinha.

Tudo pronto e chega a hora ,mas nada da mãe voltar! E passava bastante da hora. A avó preocupada, mas nada queria demonstrar.  Lia fora dormir, já se fazia tarde e no outro dia, a escola cedinho lhe esperava.

No meio da noite, barulhos são ouvidos, risadas e conversas...

A vó levanta e percebe que Joyce, mãe de Lia, estava acompanhada e todos ali, pegando com as mãos o bolo, sujando tudo e ainda, embriagados.

_O que é isso? Chega lá  e questiona!

_Ora, fui festejar meu aniversário e os meus amigos me trouxeram de volta para casa...

Mas esses, vendo que a velhinha estava furiosa, saíram  sem se despedir...

Joyce,diz a avó.
_Por acaso sabes que Lia preparou uma surpresa, ela fez esse bolo que esses vândalos arruinaram com suas porcas mãos?

_ E daí,véia!
 Sai da minha frente, senão...E seguiu, empurrando a velhinha...

_Senão o que, fala!
 A vó não mais aguentou, pegou um balde de água e jogou no rosto daquela pessoa irreconhecível que diante de si estava.

Joyce nessa hora, caiu em si...

Pediu desculpas pelas suas grosserias, mas disse não mais querer se sentir presa com a filha, que lhe travava sua vida.

_Desisto dessa menina manhosa e mimada.
Podes ficar com ela!

E, dizendo isso, subiu, arrumou uma sacola de roupas e saiu de casa...E foi para sempre...

Lia, na manhã seguinte nada viu e nada sabia...

Perguntou pela mãe e a avó respondeu:
_Ela foi embora, quis cuidar de sua vida e nós a atrapalhávamos, segundo ela.

_Lia nem uma lágrima derramou...
Mas nunca mais um palavra sequer falou...

Do choque, emudecera, como se houvessem cortado o ele de comunicação...

Assim , mesmo com um tratamento, nada mudava naquela situação.  Cercada de todo carinho da avó, Lia crescia.

E, foi num dia, chuvoso, quando o tempo havia corrido no calendário, a vó resolveu fazer um bolo  para Lia, que aniversaria no dia seguinte.Faria treze anos, estava se tornando mocinha.

Só as duas ali, quando a vó pegou o cesto de ovos do armário e quebra o primeiro, Lia atenta diz, ainda meio em palavras balbuciadas:

_Faltam mais três, vovó!

Esta, ficou atônita, surpresa e deixou cair no chão...

_ Deixa que eu limpo,vovó  !

E, a seguir, falou ininterruptamente, como se nada houvesse acontecido.

As duas não cabiam em si de alegria. O bolo cheirava pela casa . Foram dormir e, na manhã seguinte, ao acordar, sentem um perfume de café, vindo da cozinha.
E, ainda, de pão de queijo.

Vão até lá e lá estava Joyce, que corre para abraçar e beijar a filha.

Foi um abraço demorado, sinal que o bom coração de Lia, a perdoara!

A avó assistiu feliz e foi se unir às duas. Tomaram o melhor café de suas vidas e aquele, foi o melhor aniversário da vida de Lia, que sabia, tinha muito a conversar com a mãe, mas estava disposta a isso.

Joyce  se desculpou com D.Joana  e agora, eram felizes os reencontros ao final da escola e trabalho. Tinham tanto a falar e a avó podia tranquila ficar...

Aquele cesto  de ovos nunca mais saiu dali e representa para Dona Joana, o milagre da cura da neta...

Mas o melhor milagre, foi o amor da mãe de volta!



* Inspirada nessa  imagem, voei......