♥ Sentimentos não se discutem... ♥


Rita Maria estava feliz.

Encontrara Dulce, sua amiga de tempos, outrora triste, mudada, muito diferente.
Estava parecendo bem  animada, apaixonada.

Ela lhe disse que iria lhe apresentar quem lhe dera a alegria, o amor!

_Queres vir comigo?

Rita Maria, confiante, responde:

_Com  muito prazer! Quando será? Mas lembra-te que sou tímida e não tenho coragem para ficar papeando muito, não gosto disso.Vou apenas para conhecer quem te fez tanto bem!

Tudo combinado, ela nervosa, ansiosa, já esperava a chegada de Dulce e seu "salvador", no barzinho escolhido.

Assim que eles chegam, ela levanta e desde logo, atrapalhada,  deixa cair sua bolsa, esbarra na cadeira vizinha, o vaso que enfeitava cai ao chão espatifando-se e o moço, como se nada houvesse assistido diz:

_Puxa!

Puxa, penso eu,  nem um aperto de mão ,pensa Rita Maria...

_Será que ele nada mais sabe falar?

Apresentações feitas e nada de frase alguma inteira sair daquela boca.

Apenas:  Puxa! ou um  Ops!  ou ainda  Entende?

Ela cada vez mais se irritava com aquilo e trucidava mentalmente sua amiga de ter-lhe apresentado um bolhão assim.  Como ela poderia ter se apaixonado?


Dulce pergunta à amiga o que ela está sentindo ao ver esse rapaz tão forte ,tão apaixonante e que fez sua vida melhorar?

_ Putz, mas que vidas esse diacho há de melhorar? ruminava  quietinha...

Ali acontecia um quase monólogo, quebrado apenas por uma palavra de cada vez daquele  ser estranho...

Rita não mais se aguentou e perguntou, discretamente ,ali mesmo , o que e como eles tinham se comunicado, pois não via a menor chance ..

Dulce então lhe diz:
Ele despertou o amor em mim...Isso é tanto!

_Como? Insiste...

_ Me fazendo pensar na vida sem palavras e valorizando cada uma delas..

E todos que o conhecem dizem que ele desperta algum tipo de sensação que opera mudanças, fala crédula Dulce.

_ Noossa, que coisa mais estranha!

Passa um pouco de tempo e a cena ali a mesma. Conversas  eram assim. Dulce e Rita falavam e ele respondia  com UMA das suas palavras e as seguia com o olhar... Assim continuavam e, para  Rita, aflição!...

_Ainda não sentiste nada?

Rita Maria pensa e diz:
_Acho que sim: Parece que criei CORAGEM.

Como resposta, dele chega:
 _ Certo!

Rita nessa hora, diz que ele lhe fez lembrar seu avô e suas simpatias e diz que tem então a oportunidade dele livrar-se daquele vício de linguagem horrível.

_Vamos nos encontrar dentro de quatro dias dias e até lá, deves  usar um pé de meia branco e outro verde.Sempre as mesmas! Sem  mais perguntas.

_Eba! Responde ele!


Dulce agradece  com palavras e ele com um sorriso... 

Chega o dia, ao se encontrarem, ele diz:

- Fico feliz que estejas aqui!

Sem perceber, feliz por vê-lo falar, ela pede licença:

Levanta suas calças e vê as meias ,tal qual ela sugerira...

Pede que tire os sapatos e com a coragem adquirida diz :

_PUTZ, que chulé!

Riram muito e ela sentiu-se em igualdade. 

Após os três  juntos, puderam conversar .Entre ele e Dulce, havia o amor e ela, agora tinha coragem de dizer o que pensava e lhe incomodava .Assim a amizade reinava.

E essa amizade, já instalada ,fez com que ela pudesse dizer a ele que agora, a primeira coisa a fazer seria trocar as meias...

E o fez...

Ele respondeu:

-Ops!

E Rita Maria desistiu...

Mas ele a chamou! Disse que estava apenas brincando,rs...

* Imagem daqui