Querem ver o que temos lá no coisinhas da chica?

Querem ver o que temos lá no coisinhas da chica?
Basta clicar!

♥Indignação... ♥



Indignação

motor do carro esquentou
 noiva explodiu
lua de mel haveria    de    ser  adi...
                                             a

                                             d

                                              a


Baixou tristeza, baixou tu

                                    u

                                     u

                                     u

                                    u

                                  d

                                        o....




Mas haveria tempo para o amor!!!






Chica



* Publicado há mais de ano no cronicasdachica

**  Imagem retirada do  hi5       

✿O que será?✿




Sentados na praia, num cenário magnífico...

Dia lindo! Tudo de bom!

À nossa frente, neno brincava com sua prancha nas ondas...Nós de "olho" nele...

De repente, Kiko começa a cantar e cantarolar...

Desenterrou lá do fundo do baú ( e bota fuuuuuuuundo nisso!!) a música:
Que será, será???

A maioria das pessoas que por aqui passarem nem, lembram pois essa é JURÁSSICA...

Porém, me encheu de pensamentos e lembranças...

A letra é mais ou menos assim:

Quando eu era pequeninha
eu perguntava à minha mãe
serei eu pobre, ou serei rica.
O que serei, será?


O que será,será? 
Aquilo que for, será
O futuro nos dirá
o que será ,será!!!


Nunca fui de pensar no que seria, quando pequena...E, mesmo assim, chegamos até aqui!

Hoje, ao ouvir na voz mais cansada e rouca do Kiko, me "pegou"...

O que será,será? 
Aquilo que for,será!!!

Parece que palavras ficam mais fortes quanto mais velhos ficamos...

Como era bom ouvir essa música sem nenhuma preocupação com a letra...Apenas OUVIR, sem se aprofundar!!!

Agora, pensamos!

E Kiko, ao ressuscitá-la mexeu com meus "botões", mesmo sem saber...

Engraçado pensar que , ambos pequenos, separados , ele lá no outro canto do mundo e eu aqui, ouvíamos a mesma música, ele em italiano e provavelmente cantada pela sua mãe e eu aqui, pela Oma, minha mãe...

Mais estranho ainda que após ...trocentos anos,  num lugar lindo assim, quase no final das férias, tendo todo um ano pela frente, nos perguntamos:

O que será, será???

Vamos deixar acontecer e que seja o MELHOR!!!

* Escrito nos últimos dias das férias, na praia...


Publicado  dias atrás, no outro blog, mas trouxe aqui pois lá é mais restrito...

♥Vamos sair dessa!Falo no PLURAL!♥
.



Participação na Edição Cartas do Bloinques:


Tema: O pessimismo acaba com a vida.

(((o)))o(((o)))o(((o)))


Terra da Boa Esperança, 20 de fevereiro de 2012.




  Meu Querido "Raposildo"



Hoje fiquei triste ao te ver deprimido, pra baixo e parecendo não acreditar  que as coisas para ti hão de dar certo.

Reclamas que estás seguindo todos os passos para tua cura há vários meses e ,no entanto, agora que deves iniciar mais uma etapa do tratamento, ficas remoendo as coisas ruins, achando que tudo deu e dá errado para ti.

E, quantas vezes já te disse que é exatamente o contrário?

Todas as etapas que até agora passaste, deram certo. Te saíste bem, otimamente bem até, na cirurgia...
Depois dela vieram exames.

Claro, concordo que os resultados não foram os desejados, mas...Nem por isso, vamos ver apenas o buraco escuro na história toda.

Já te comentei, muitas vezes que o pessimismo acaba com a vida. e a torna mais amarga do que necessário.


Há grande diferença  na solução final  entre os que acreditam e correm atrás da cura com esperança e acreditando de verdade e aqueles que desde logo, antes de lutar são derrotados pelo pessimismo, pela forma de encarar  o que aparece para eles...


Olhar para os "presentes" que da vida ganhamos com  mais vontade de abrí-los e ver seu conteúdo e mesmo não nos agradando, dar logo um jeito de ficar o melhor possível para passar pelas situações que o "pacote" nos pede...


Vai firme e forte e deves lembrar sempre, NUNCA ESQUECENDO, que não és apenas tu nessa situação.


Aqui em casa estamos todos juntos em cada fase e temos certeza, serás vencedor.


Mas não deixa a peteca cair,tá?


Estou sempre aqui, prontinha para apará-la!!!


Vamos que vamos, sempre te falo!!!

Vai, imagino que ao ler essa carta, virás lá do nosso quarto com tua carinha onde um sorrisinho maroto mostrarás. 


E é esse sorriso que quero ver sempre em teus lábios. E, certamente , hei de ver muito tempo ainda!!!



beijos da tua 
"Raposa"


♥Surreal? ♥

EDIÇÃO VISUAL do BLOINQUES:

(((o)))o(((o)))o(((o)))

Milão, fim de verão.

Os dias iniciavam a ficar mais curtos e escurecer mais cedo.
Francesca  havia passado o dia todo agitada.

Saíra mais cedo do trabalho, passara em casa , tomara um banho e se vestira adequadamente para um encontro que lhe deixava nervosa.

Na tarde anterior, enquanto trabalhava, recebe um telefonema  de seu pai  ,comunicando que haviam ligado para sua casa perguntando por ela.

Era um tal de Dr. Edmondo  dizendo precisar falar com ela. Seu pai lhe passara o celular e enfim conseguiram conversar, marcando encontro para aquela tardinha.

Ele se apresentara como  advogado de sua mãe e dizia ser o teor da conversa importante para ela.

Pediu que lhe dissesse suas características para facilitar  o encontro.

 Ela lhe disse como era, a cor do vestido, preto, no caso e ainda, que usaria uma corrente  de ouro e nela estariam as iniciais de sua mãe. 

Fora um presente que ganhou do pai ,após a morte da mãe...
Assim, agora ali estava a esperar...

Os minutos pareciam não ter fim, tal a angústia que lhe acometia.

Finalmente, um  senhor bem vestido, se aproxima.Era bem mais velho, quase da idade de seu avô.

_Signorina  Francesca? Pergunta com voz  calma.

_Si...

_ Sou o Dr.Edmondo Aliscerini.

- Posso sentar?

-Sim, por favor!

Feitas as apresentações de praxe e algumas palavrinhas  , ele retira da pasta um envolope e lhe entrega.

Não poderia deixar de fazer isso, diz ele.

Ela abra e vê um cheque  de alto valor.
Surpresa, pergunta:

_Mas o que é isso?

_ É uma longa história que vou contar em poucas palavras.

Sua mãe, Signora  Tereza, há muitos e muitos anos ajudou minha família, cuidando  com dedicação e carinho, num terrível momento pelo qual passamos.

Não aceitou nada em troca. A procurei várias vezes e ela nunca quis nada receber. 

Disse apenas que passados dezoito anos, alguém de minha família poderia procurar por você e lhe fazer um presente.

É isso. Esse é o meu presente.Aceite, por favor!
Essa era a vontade de sua mãe.

Francesca recebeu o cheque, conversaram um pouco e ele se despediu...

Assim que se afastou da mesa, ela o acompanhou com o olhar e...Sem mais, sem menos, ele evaporou-se  no ar...

Ela sem nada entender, ficou ali, olhando para fora, tentando entender enquanto suas pernas ainda tremiam...

Chega em casa, conta ao pai e mostra o cheque.
Ele fica pálido,começa a suar.

- Mas, mas quem assinou esse cheque foi...

 - Foi quem,papai? Quem é esse Sr.Edmondo?

_ Foi o  homem a quem tua mãe cuidou até morrer. Sempre falava que não podia pagar os serviços, mas um dia apareceria...Parece, cumpriu a promessa...

Ela , arrepiada, agradece em oração à mãe e faz uma oração pelo Sr.Edmondo...
E esse agora, iria descansar em paz!

Havia pago sua promessa...



♥É "hooooooooooooooje"!!!rs... ♥






Edição Visual do Bloinquês:

(((o)))o(((o)))o(((o)))


Irma, vasculhando nas gavetas do marido, encontra um pacote estranho. Estava embrulhado com papel pardo, comum...

Joga o conteúdo sobre sua cama e ali fica espantada com o que vê.
Fotos e mais fotos de mulheres para ela, de  desconhecidas.

Quem seriam essas? Ficava se perguntando ,com uma raiva lhe corroendo desde já.
_AH, mas esse desgraçado hoje me paga!!!

Olha, olha e percebe então que em todas elas uma mulher se repetia sempre, ora com um, ora com outro grupo,até mesmo sozinha.
E que quase sempre essa mulher usava roupa verde. 

Que falta de imaginação! Dizia indignada! Essa daí, ainda por cima, parece ter sempre a mesma roupa e será que verde é sua cor favorita?

_Bem, para uma "periquita" deve mesmo gostar de mato, bem verde!!! Resmungava e pensava os maiores impropérios...

E assim, pensando em voz alta e consigo mesma,Irma já sentia ganas de engolir viva aquela sujeita e mais ainda, seu marido...


Quanto mais gana, mais olhava e procurava detalhes nela e nas fotos.

_Ah, mas é hoooooooooooooooooje que mato esse homem assim que colocar os pés aqui em casa! -esbravejava... 

Mas não antes de saber  quem são essas todas e principalmente a periquita mor...Não mesmo!!!E enquanto assim falava, empurrava em pensamento o marido...

Nisso, ouve um barulho ao seu lado. 

Ela não em pensamento, mas na realidade, empurrara o pobre e santo marido para fora da cama e, com o barulhão do corpo caindo ao chão, acordou!

_Quem é ela?Por que tantas fotos? Quem são as piriguetes todas e aquela periquita sempre de verde e blá,blá.blá....
 Raimundo, levanta do chão assustado e sem nada entender.

Irma, ainda meio entre sonho e realidade, sem saber ao certo o que havia acontecido, ajuda o marido a se levantar e só então percebeu o que acontecera.

Sonhara com fotos pois no dia anterior, teve que montar um álbum especial em seu trabalho. Organizava fotos de eventos e sua cliente era chata e exigente demais.Queria tudo pronto "para  ontem"...

E , realmente tinha ficado intrigada com aquela mulher, que lhe parecera conhecida...

Cansada de trabalhar , deitou, dormiu e sonhou...

E o pobre marido, foi quem levou!!! 

♥ Uma carona diferente... ♥



Quando fiz o vestibular, nossos quatro filhos eram uma linda escadinha.

Todos pequenos, já que em apenas cinco anos nasceram todos.


Como o maridão resolveu estudar, resolvi então, pra não ficar pra trás, aceitar esse desafio.


E, me fui...Estudei como uma danada...


Durante o dia, eram as correrias e cuidados com eles e à noite, enquanto os anjinhos dormiam, nós íamos para as aulas...


A pessoa que cuidava deles ficava ali apenas à noite naquelas horinhas e pedia que os deixassem prontinhos, de preferência dormindo...

Assim era bem mais fácil:

                                - pra ela!!Claro!!!-


Bem, como boa teimosa que sou, fui até o fim, e de modo até brilhante me formei.


A tese, foi realizada em pracinhas de brinquedos, parquinhos, onde levava as feras pra brincar e ficava estudando e escrevendo.


Após a formatura, veio aquele início, onde devemos pegar o que vem pela frente e agradecer...


Sempre tive a mania de ser solicita com as pessoas e tratá-las gentilmente.


Meus clientes eram tratados como devem ser, do jeito que realmente esperamos que façam conosco, mas infelizmente não encontramos.


Tratava-os com atenção e gentileza.


Bem, em meio à esse início de carreira, havia em nossa casa uma novata também: uma cachorrinha, a Bolinha que ainda não estava acostumada a ficar sozinha em casa.


Chorava, se estribuchava toda e então, com pena e pra não ser corrida da rua pelos vizinhos, resolvia o problema levando-a sempre comigo, no carro.


Ela em geral se comportava conforme manda o figurino...


Porém , num dia em que, saíndo do Fórum, com minha cliente, vendo que ela estava sem condução, resolvo oferecer uma gentil carona...


Lógico que foi aceita de pronto.

Chegamos ao carro. Ao abrir a porta e jogar minhas pastas no banco de trás, dei uma olhada e vi o que esperava a pobre caroneira...


Bolinha, "filha mais nova de uma família de pessoas educadas", resolveu, logo naquele dia e hora, fazer suas necessidades nº 2 ali, no lugar da carona.



Sempre fui bastante espirituosa e então, dei uma volta no carro, sem que ela visse, peguei um papel, joguei aquele cocô pra fora do carro , limpei um pouco o banco e abri a porta:



- Pode entrar!!!


Porém, o adorável perfume continuava e , não dando mais pra esconder, caímos as duas na maior risada...


* texto publicado há bastante tempo no outro blog, mas como sempre tem gente noiva chegando...trago aqui!