Querem ver o que temos lá no coisinhas da chica?

Querem ver o que temos lá no coisinhas da chica?
Basta clicar!

Querem ver o que temos no chica brinca de poesia???

Querem ver o que temos no chica brinca de poesia???
Cliquem pra ver!

♥ As roupas, as transfomações... ♥

Participação no Momentos de Inspiração lá da Mamyrene

(((o)))o(((o)))o(((o)))

Sempre que podia,Vica, que era a caçula da casa e tinha uma grande diferença de idade  de seu irmão, adorava participar do dia a dia da mamãe  em seus trabalhos domésticos.

Gostava de ajudar e sempre que terminava as tarefas escolares e as horinhas de leitura,o fazia.

Assistia  a mãe cozinhar, se interessava por aprender ,gostava de vê-la  pendurar as roupas e depois as recolher perfumadas e, antes de colocá-las no cesto, as cheirava para sentir  bem de pertinho o perfume de sol!

O Natal já estava próximo, a casa , bem simples, mas enfeitadinha...

Naquele dia,  enquanto a mãe  pendurava as roupas , lágrimas corriam sem que ela pusesse controlar.
Vica viu e questionou:

_O que aconteceu,mamãe?

As duas eram muito amigas e a mãe resolveu abrir o coração.

_Estou triste, meu coração está machucado.Há dois dias que teu irmão tem nos incomodado muito, deves ter visto. Ora ele  está bem ,ora passa a fazer de tudo, parecendo querer ver o fim meu e o do teu pai.
Para nós,  a cada uma dessas fases, é  como se morrêssemos um pedacinho...

Assim, seguiram no papo e Vica   tentava consolar a mãe, enchendo-a de abraços.

_Pode deixar mamãe, que eu cuido de ti e do papai e não vou deixar que ele  faça nenhum mal  pois  adoro vocês!

_ Obrigado,minha querida!  Nem sabes o quanto bem tuas palavras fazem!

Vica e a mãe entram, vão cada uma para seus afazeres. Vica, estudiosa, preparava-se para prestar as últimas provas daquele ano na escola!
Ia sempre muito bem e queria dar de presente aos pais, mais uma vez, um boletim maravilhoso!

O dia passa e várias vezes as lágrimas escondidas rolavam no rosto da mãe.

Chega a tardinha,Vica chama a mãe para a hora de recolher as roupas e, sentindo aquele perfume maravilhoso que só as roupas secas num varal ,ao ar livre podem ter, diz:

_Sabes mamãe, cada roupa dessas mostra um pouco do teu coração...

As roupas após usadas, ficam sujas.
Com tua mão as lava, pendura e na hora de recolher, vemos  essa transformação.

-Por que  pessoas  que passaram pelas mesmas tuas mãos, as cuidaste e cuidas, tratas bem, não conseguem se transformar?

_ Ora, filhinha!  Tu és especial por isso já  pensas assim, mesmo com teus poucos anos!
Nem todos tem a capacidade de ver o poder do "SOL" e é ele, não eu, que faz a transformação.


As duas terminaram mais aquela tarefa do dia, guardaram as roupas, todos chegaram, tomaram banhos e lá uma nova cesta de roupas esperava o dia seguinte.

Isso sempre se repetia.

E a cada roupa lavada, agora ficariam na lembrança as palavras de Vica.

E,  sinceramente, ela esperava, de coração ,que o SOL transformasse o coração do filho!

Gostaria que nas badaladas  dos sinos que dentro de alguns dias anunciariam  o Natal, nos corações de todos pudesse reinar PAZ!

Eles mereciam!



♥ Revirando páginas... ♥


Minha participação nos Momentos de Inspiração nº 19 , lá da Mamyrene:



(((o)))o(((o)))o(((o)))

Eleonora naquele dia saíra de casa decidida.

Participaria do Bookcroosing blogueiro de qualquer jeito.

Venceria as amarras do apego aos seus livros.

Haveria de dividí-los e fazer contente várias pessoas!

Assim, carregando uma sacola cheia de livros escolhidos para a ocasião, dirige-se ao parque. Ali, em pontos diferentes, "esqueceria" os livros nos bancos.

Porém, logo que lá chegou , parecendo tomar coragem, senta-se num dos bancos...

Ali, folheia e examina cada um deles.

Recorda como ganhou alguns, como  escolheu os outros, os encontros na livraria, naquela estante de livros, onde até  seu amor apareceu...

Fica assim olhando de um em um, parecendo reviver cada momento.

Está quase decidida a não mais os deixar soltos por lá e levá-los novamente consigo para casa.

Nessa hora, algo mais forte bate , martelando seu pensamento:

_O que é isso? Não consegues te desapegar de nada?  Não sabia que eras assim tão egoísta!
Tu já os leste, te deliciaste com eles e agora,o que te impede de fazer a outros felizes?

Parecia ouvis a voz de sua avó, numa reprimenda, falando em seu ouvido.

Respira fundo, tom o ar puro do local. Seu coração parece explodir quando resolve que aquelas lembranças todas ,de cada livro e de como chegaram até ela, poderiam dar um belo romance.

Chegaria em casa ,após a distribuição e prontamente o iniciaria. Não deixaria que se apagasse essa chama dentro de si!

Tinha certeza que era capaz e que, graças às leituras feitas e que lhe foram proporcionadas, tinha agora as condições para tal!  Estava resolvida, firme e decidida!

Hoje, passados três aos, ela faz  a sessão de autógrafos de seu terceiro livro!

É feliz!

Agradece ao Alto e aos seus amigos livros que a ajudaram nessa caminhada! E, claro ao amor que encontrou numa livraria e "bancou" a primeira edição...

chica


♥ A Ida e a volta... ♥


Minha participação no Momento de Inspiração- Ed;nº 18  lá da Mamyrene

(((o)))o(((o)))o(((o)))


Mais uma vez,Lina olha para trás...

De longe vê a prisão, que era como sentia ser a casa dos pais.

Estava com vinte anos e não tinha liberdade para nada.

Suas roupas eram escolhidas pela sua mãe e esta, por sua vez, aconselhada pela sua avó.  Saíam as duas e simplesmente lhes davam o resultado das compras, sem ao menos se importar com seus gostos. Cismavam em lhe dar jóias caras e estas não faziam a sua cabeça.Detestava. Não gostava de ostentações.

Naquele dia, enquanto   ainda amanhecia, resolvera deixar tudo aquilo para trás e tentar sua vida.

Assim, com uma enorme mala na mão, pesada, cheio de seus livros, estranhas  vestes  e jóias que venderia  na cidade, pretendia conseguir  manter-se numa pensão ,conseguir um trabalho e por lá viver...

À família, deixara apenas um bilhete onde dizia que estava buscando encontrar a SUA vida.  Despediu-se afirmando que tão logo pudesse, daria notícias.

Seguiu o caminho, chega à cidade onde,  com muito sacrifício consegue vender um ou  outro livro.
Poucas peças de roupas foram compradas por um grupo de teatro.

Jóias, já lhe sobravam poucas, mas o emprego que arranjara parecia ser muito bom e logo estaria  bem financeiramente...

Era o que pensava...Mas a realidade,bem diversa!

Dois anos passaram...

Ela sabia não ser aquela a vida sonhava.  No emprego, tinha moradia e comida, mas passava a noite trabalhando, aguentando homens indigestos, porcos, podres até...Era o que havia conseguido, pois não queria trabalhos pesados.

Poderia ter sido empregada numa loja, mas achou  irritante ficar tantas horas em pé. Não gostou ainda do salário.

Assim, de emprego em emprego, achou aquele...

Lhe faltava coragem de recuar, de voltar à casa dos pais ...

Só o fez, quando foi mandada embora de lá, ao saberem que engravidara.

E agora?
Dentro de si, a certeza que mesmo não sabendo quem era o pai, o filho haveria de ter uma mãe forte e valente, lutadora.

Diante daquela semente que dentro de si brotava, fez essa promessa.  Agora era hora de voltar e enfrentar a família.

Chegando lá, todos viram seu estado desesperador.

Roupas vulgares, cabelos em desalinho, parecia desnutrida. Olheiras  enormes denotavam as noites mal dormidas.

Ao primeiro abraço, a mãe perguntou:
_ Não vieste sozinha, não é? Sinto que tens mais alguém em ti!

Essa foi a senha para o primeiro beijo entre elas acontecer. Toda família fez o mesmo.

_Ao banho, sugere a mãe.  Tua vó e eu iremos comprar roupas para ti, trataremos de te alimentar e cuidar novamente.

Depois, pensaremos em ver crescer tua barriguinha e o seu "recheio"...

Lina, nessa hora pede desculpas por tantas preocupações oferecidas à família.

No banho, com a ducha morninha escorrendo sobre sua cabeça, lembra num repente do dia em que de lá saiu...

Mas admira agora, sabe dar valor ao que por lá tem.  Pequenos ajustes terão que ser feitos naqueles relacionamentos, porém, sabe que ali é o melhor, no momento..

É acolhida e lá tem amor, que certamente, será repassado ao seu pequeninho quando a hora chegar.

Era hora de refazer laços, cuidar-se e aceitar o emprego da escola que lhe esperava!

Assim fez e a cada dia, sua barriguinha mais aparecia e enquanto ela trabalha na escola, sua mãe e avó se divertiam  preparando o quartinho, comprando o enxoval do pequenino neto e bisneto.

Elas realmente, não mudariam, ria-se ao pensar...

Mas agora, Lina sabia que tudo tem sua hora e, na hora certa tudo haveria de acontecer!
chica






♥O trem e o "impedimento"... ♥



No trem ela estava.
lugar para sentar,não existia!
De repente, em pé,tudo  passou a ver...

Jovens tatuadas,
bebê sendo  amamentada,
outra de perna quebrada.

Um velho senhor com olhos tristes,lacrimejava.
Outro jovem,ao lado, bocejava...

E o trem seguia. Ia, ia!
A cada estação, uns entravam, outros se iam.

Seu rosto enrugado a idade mostrava.
O lugar lhe era sempre por alguém oferecido...

Mas justo hoje? -Se questionava!
Tantas e tantas viagens fizera,
nunca ninguém lugar oferecera!

Ela  hoje, sorrindo, recusava.
Nunca havia visto junta, tanta educação!

Que bom, pensava animada!
Mais olhares, mais constatações!

Mais um que o lugar lhe oferece, como que questionando:
-Por que será que essa "velha" não senta?
Estará promessa pagando?

Mas não sabiam todos o motivo...
Um furúnculo em seu "sentante" se instalara
e assim, muito melhor em pé, foi o que lhe sobrara!

A viagem acabou!
No ponto final ela desceu!

Espera que na próxima viagem,
sem percalços, sem qualquer impedimento
 pessoas a vejam e lhe ofereçam o assento!

chica